100%

Vereadores definem andamento dos trabalhos da CPI do Lixo em Ituporanga

Depois de instaurada com o apoio dos 11 vereadores de Ituporanga, a primeira reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar possíveis irregularidades na coleta de lixo na Capital da Cebola, foi realizada na tarde de quarta-feira, 26. O encontro reuniu todos os membros e tratou dos detalhes para o andamento das investigações.
 
De acordo com o presidente da comissão Leandro Heinzen (PSB) entre as definições está o prazo de 90 dias para que as investigações sejam feitas. “Esse prazo pode ser prorrogado caso seja necessário,  ficou definido ainda que a prefeitura tem o prazo de 5 dias para fazer a entrega de um computador que supostamente teria tido documentos e informações deletadas”, explicou.
 
Alem disso foi requerido que o vereador Claudinei Eyng, o Beleco do MDB, faça a entrega de uma suposta gravação que teria feito de uma conversa, onde o prefeito teria feito propostas com intuito de prejudicar as investigações.”Tem se falado muito disso e se isso realmente ocorreu é muito grave e precisamos ter certeza se ocorreu mesmo ou não”, afirmou.
 
Outra definição foi a data de início da oitiva dos depoimentos das pessoas envolvidas. O primeiro depoimento será com o vereador  Leandro May (PSDB) que deu origem a denuncia, quando ainda era Secretário de Urbanismo. Será na próxima quarta-feira , 06, a partir das 8h na Câmara de Vereadores. “O depoimento é aberto e pode ser acompanhado pela imprensa e também a comunidade em geral que tenha interesse. A única coisa que é proibida é que haja intervenção das pessoas que estejam assistindo, as perguntas podem ser feitas somente pelos membros da CPI”, explicou.
 
A partir do primeiro depoimento serão definidas as próximas pessoas que serão ouvidas bem como a ordem de depoimentos.
 
Sobre a CPI:

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) investiga possíveis irregularidades e desvio de recurso público na administração de Ituporanga. O problema está relacionado a divergência entre a quantidade de lixo recolhida no município pela empresa Say Muller e a quantidade de resíduos que chega ao destino final. A CPI tem como presidente Leandro Heinzen (PSB), relator Claudinei Eyng, Beleco (MDB) e membros Marcelo Machado (PP), Jaime Roberto Sens (PSDB) e Diogo Gastaldi (MDB). O intuito da comissão é descobrir com quem  fica esse dinheiro que supostamente está sendo desviado.
A denuncia das possíveis irregularidades foi apresentada pelo vereador Leandro May (PSDB), antes de pedir exoneração do cargo de Secretário de Urbanismo do município. Segundo o vereador e ex-secretário, no mês de janeiro os documentos apontavam que 500 toneladas de lixo tinham sido coletados pela empresa Say Muller, dessa quantidade 370 toneladas foram transportadas ao destino final pela Serrana Engenharia, uma diferença de cerca de 130 toneladas. “A partir daí comecei a investigar. Fui procurar os responsáveis pela cooperativa de catadores que fazem a reciclagem do lixo, lá identifiquei que apenas 43 toneladas havia sido reciclado. O que no final das contas deu uma diferença de quase 85 toneladas de lixo que supostamente foi recolhida mas o destino final não se tem notícia, uma diferença de valores de pelo menos R$ 32 mil”, explicou.
No decorrer das investigações da CPI, existe a possibilidade de pedir afastamento do prefeito Osni Francisco de Fragas e de demais envolvidos. Segundo o presidente da casa Adriano Coelho (PP), a CPI tem como prioridade investigar e encontrar as irregularidades se realmente elas existem, mas pode culminar com pedido de afastamento dos envolvidos também. “Existem algumas possibilidades para se pedir o afastamento, uma delas é se houver tentativa de atrapalhar o andamento dos trabalhos de investigação”, comentou.

Câmara de Vereadores de Ituporanga
Assessoria de Comunicação
 
Protocolos desta Publicação:Criado em: 05/03/2019 - 09:48:33 por: Erlon Carlos Thiesen - Alterado em: 07/03/2019 - 00:21:34 por: Erlon Carlos Thiesen

Notícias