100%

CPI do Lixo: Vereador Leandro May foi o primeiro a ser ouvido

Próximos depoimentos serão realizados na sexta-feira, 08.
 
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada para investigar possíveis irregularidades na coleta do lixo em Ituporanga se reuniu nesta quarta-feira, 06, para o primeiro dia de depoimentos. O primeiro a ser interrogado foi o vereador Leandro May (PSDB) e ex-secretário de urbanismo que deu origem as denuncias de que pode haver irregularidades e até mesmo possível desvio de recursos públicos na administração de Ituporanga.
 
O presidente da comissão Leandro Heinzen (PSB) explica que as informações repassadas por meio do depoimento são anexadas aos relatórios da CPI e tudo vai ser investigado. “O depoimento de hoje foi muito importante, serviu para esclarecer muitas situações e novas denuncias foram apresentadas. Alguns documentos foram apresentados também e já fomos inclusive conferir algumas informações em loco”, explicou.
 
Durante a oitiva o vereador  confirmou todas as informações já apresentadas e que originaram o pedido de sindicância ainda quando era secretário de urbanismo, e também a abertura da CPI que foi aprovada pelos 11 vereadores no dia 25 de fevereiro, em sessão na Câmara de Vereadores. Leandro May aproveitou o momento do depoimento para apresentar novas denuncias. Ele explicou que o contrato com a empresa Say Muller já havia sido convencionado ainda quando Osni Francisco de Fragas era candidato a prefeito.
 
O ex-secretário de urbanismo detalhou ainda como a empresa possivelmente estaria agindo para ampliar a quantidade de lixo supostamente coletada na cidade. Segundo May,  a empresa Say Muller recebe da prefeitura pela quantidade de lixo recolhido, ou seja, por quilo. E a irregularidade pode estar na pesagem do caminhão de coleta. Essa pesagem, segundo o ex-secretário é feita em uma empresa terceirizada, e relatórios apontam que pode ter ocorrido pesagens duplas dos caminhões com o mesmo material. Ou seja, o mesmo caminhão passou na balança, não descarregou o lixo, e voltou para pesar o mesmo material, sem ter tempo hábil para coletar uma nova carga. Somente no mês de janeiro documentos apontam divergências de 85 toneladas, o que em valores traria prejuízos de pelo menos R$ 30mil aos cofres públicos. Alem disso, o vereador acrescentou que está juntando outros documentos e ainda durante a CPI deve apresentar novas provas que comprovem as irregularidades que estão sendo apontadas.
 
O depoimento apontou também para a necessidade de a comissão solicitar documentos da administração. “O vereador Leandro May nos alertou que não teve acesso à todos os documentos com dados importantes que podem trazer detalhes e confirmar essas irregularidades, os mesmo documentos foram solicitados pela própria câmara e até agora não tivemos retorno também, então vamos encaminhar por meio da CPI o pedido dessa documentação diretamente para a administração para anexarmos nas investigações”, pontuou o presidente da CPI.
 
A próxima reunião da CPI ficou agendada para sexta-feira, 08, com a expectativa e que várias testemunhas sejam ouvidas. “Já deixamos hoje convencionado que sexta-feira, vamos retomar os trabalhos das oitivas e vamos intimar várias testemunhas. Nosso intuito é agilizar o andamento das investigações”, relatou Leandro Heinzen.
 
A Comissão tem prazo de 90 dias para concluir as investigações, mas existe expectativa que antes disso os trabalhos sejam concluídos. O presidente trabalha com a perspectiva de conclusão em dois meses. Os membros da CPI estão atentos também aos passos dados pelos envolvidos na suposta irregularidade. “Caso haja indícios de que o prefeito ou demais servidores possam estar atrapalhando o andamento das investigações existe ainda a possibilidade de pedir afastamento do prefeito e demais envolvidos que façam parte da administração”, relatou.
 
O presidente da comissão lembrou ainda que os depoimentos são realizados em sessão aberta para a participação da imprensa e da população. “Só não é possível que quem assista participe com questionamentos, já que isso é restrito aos membros da CPI.”, completou.
 
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)  tem como presidente Leandro Heinzen (PSB), relator Claudinei Eyng, Beleco (MDB) e membros Marcelo Machado (PP), Jaime Roberto Sens (PSDB) e Diogo Gastaldi (MDB).
 
Câmara de Vereadores de Ituporanga
Assessoria de Comunicação
 
 
Protocolos desta Publicação:Criado em: 07/03/2019 - 10:26:32 por: Erlon Carlos Thiesen - Alterado em: 07/03/2019 - 10:26:32 por: Erlon Carlos Thiesen

Notícias