Presidente da Câmara de Vereadores de Ituporanga volta a falar em abertura de CPI na Casa

Na última sessão da Câmara de Vereadores de Ituporanga, realizada na segunda-feira (24), o Presidente da Casa Leandro May (PSDB), ao utilizar a tribuna livre, voltou a falar sobre a denúncia feita por ele a duas semanas. A acusação se deve a compra de mais de 500 toneladas de cimento betuminoso usinado (asfalto) pela prefeitura no ano passado. O vereador relata que há inconsistências na aquisição do material. Ele denunciou que a Prefeitura pagou por um material que não recebeu. Nas suas contas estariam faltado mais de 300 toneladas de asfalto.

“Em outubro do ano passado a compra foi paga e tudo foi assinado como se o asfalto já estivesse sido entregue. Após a denúncia que fizemos querem agora alegar que o material não tinha sido entregue. No final de 2014 a prefeitura estava com um déficit de quase R$ 2 milhões e hoje alega que o valor de R$ 100 mil alusivo à compra foi saldado antecipadamente, isso é muito estranho” afirmou o vereador.

Leandro May disse ainda que também no ano passado, a prefeitura pagou cerca de R$ 520 mil referente à aquisição de cascalho. Diante de levantamento feito pela Câmara foi apurado que nesse período a administração municipal pagou 1386 cargas do material, sendo que até o presente momento, apenas 502 carregamentos foram recebidos. “Entramos com um pedido de informação e tivemos acesso a esses dados nos próprios romaneios fornecidos pela Prefeitura. Podemos contatar que a Administração Municipal paga adiantado quando lhe convém”, assegura May.

O vereador lembrou que também houve irregularidades na coleta de lixo. “O serviço também foi quitado antecipadamente e custou aos cofres públicos aproximadamente R$ 350 mil”. Segundo o vereador, a empresa contratada não conseguiu realizar o serviço conforme previa o contrato e a população é que arcou com o prejuízo.

“É muito estranho que mesmo com a prefeitura estando com dificuldades financeiras fique adiando pagamentos”, finaliza o presidente.

Leandro sugeriu que seja aberta denúncia ao Ministério Público e propôs a instauração de uma CPI para que as irregularidades denunciadas por ele sejam devidamente apuradas e investigadas.

Erlon Carlos

Assessoria de Comunicação

Câmara de Vereadores de Ituporanga