Projeto para ingresso de Ituporanga no CIMCATARINA é aprovado

Por unanimidade os vereadores aprovaram em segunda votação a autorização do município de Ituporanga fazer parte do Consórcio Intermunicipal Catarinense.

O Consórcio Intermunicipal Catarinense (CIMCATARINA) tem por objetivo a união dos municípios do Estado de Santa Catarina para o desenvolvimento regional, através da formulação de projetos estruturantes, buscando formas de ações compartilhadas nos municípios catarinenses, captação de recursos financeiros para investimentos, ampliação de redes sociais, otimização, racionalização e transparência na aplicação dos recursos públicos, regionalização de políticas públicas e criação de parcerias institucionais sustentáveis.

Atualmente o CIMCATARINA é constituído por mais de 45 municípios catarinenses, que ratificaram por Lei o Protocolo de Intenções. Um dos programas é o Diagnóstico Socioambiental que conta com uma equipe multidisciplinar de profissionais técnicos, que vem desde 2016, elaborando os Diagnósticos Socioambientais dos municípios consorciados. Até o momento a equipe já concluiu o estudo de 6 cidades, outras 16 estão com o estudo em andamento.

O ingresso de Ituporanga nesse Consórcio foi aprovado na sessão de segunda-feira (01) por unanimidade em segunda votação. O vereador Adriano Coelho, afirmou que o legislativo fez a sua parte e agora cabe ao poder executivo dar o encaminhamento ao projeto o mais rápido possível. “Fizemos a nossa parte, colaborando com a sociedade, com o comércio e com proprietários de terrenos às margens do rio, esperamos agora que o executivo faça a sua parte e agilize esse processo o quanto antes", comentou.

O vereador Édio Daniel Fernandes “Edinho” (MDB) citou que esse serviço precisa ser feito com a máxima urgência. “Esse diagnóstico socioambiental é fundamental para determinar a liberação de áreas onde existe a possibilidade de haver reforma e construção de novas edificações próximas aos rios e esse diagnóstico está atrasado há pelos menos 8 anos", afirmou.

O vereador Leandro Heinzen (PSB) lembrou que a prefeitura tem um prazo legal para poder contratar o serviço. “Precisa ser publicado no Diário Oficial e isso demora alguns dias. Acredito que o trabalho final deve ficar pronto em um ano ou até menos, mas precisamos cobrar a sua agilidade", finalizou.

Assessoria de Comunicação

Erlon Carlos