Vereador pede que município reative convênio social  com o CERENE

Indicação do vereador Édio Daniel Fernandes “Edinho” (MDB), pede que Poder Executivo volte a firmar convênio com o Centro de Recuperação Nova Esperança (CERENE) da Bela Vista.

O Governo do Estado de Santa Catarina tem desde 2015 um projeto que auxilia no tratamento de usuários de drogas e álcool de baixa renda. O Projeto Reviver apoia programas de prevenção às drogas, promovendo o acolhimento e tratamento de dependentes e conta com 100 instituições terapêuticas e com mil vagas por ano para destinar a essas pessoas. Esse é o primeiro projeto entre o governo e o terceiro setor para que esse trabalho tenha o mínimo de manutenção e quadro técnico de acordo com a orientação da SENAD (Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas). A proposta, além de financiar até dez vagas em cada entidade no valor médio de R$ 1.000,00 cada, visa dar apoio técnico, capacitar equipes e proporcionar melhorias na estrutura para qualificação do atendimento. Os convênios são firmados em contrato de seis meses, podendo ser prorrogado por mais seis.

Na sessão de segunda-feira (03) o vereado Édio Daniel Fernandes “Edinho” (MDB) falou durante o uso da palavra livre sobre esse projeto feito no Estado, e, ressaltou a importância do executivo reativar convênio com o Centro de Recuperação Nova Esperança (CERENE) para viabilizar a internação de pessoas de baixa renda. “Em visita ao CERENE pude perceber o trabalho que eles fazem, e no caso da sede na Bela Vista são mulheres que querem ser tratadas. Sei que é possível fazer, o governo do Estado faz esse trabalho e destina cerca de R$ 1 milhão todo mês e mantém as vagas para as pessoas de baixa renda. A direção do CERENE me repassou que existem vagas sociais e elas podem ser preenchidas desde que se tenha convênio com a Prefeitura”, explicou.

O vereador destacou que hoje a clínica precisa de alimentos, material de limpeza, o mínimo para poder manter as portas abertas. “Hoje eles vivem de doação e do recurso destinado pelo Governo nesse Projeto Reviver”. Edinho destacou ainda que existem muitas pessoas de baixa renda e que são usuárias de drogas que gostariam de se tratar, mas não tem oportunidade. “Sabemos também da crise que vivemos hoje e as famílias com dependentes químicos sofrem ainda mais, porque a pessoas que faz uso da droga vende o que puder para poder sustentar o vício. E tendo a oportunidade de se tratar eles conseguem a dignidade, muitos renovam os laços com a família, quebrado pelo uso do entorpecente. Pedimos então a atenção do executivo quanto a esse assunto, renovando o convênio com o CERENE e dando oportunidade do preenchimento dessas vagas sociais”, finalizou.

Assessoria de Comunicação

Erlon Carlos