Vereador sugere classificação portuária da cebola para barrar importação

Assunto deve ser tratado em audiência com Ministro da Agricultura

   Problemas com a comercialização, classificação e também a importação da cebola tem gerado insatisfação para os produtores da hortaliça em toda a região, nesta safra 2016/2017. O assunto já foi tema de várias reuniões e tem recebido o apoio de diversas entidades e autoridades da região e do estado. Na Câmara de Vereadores de Ituporanga, o tema foi citado pelo vereador Diogo Gastaldi (PMDB), na sessão de segunda-feira, 20. A sugestão dada pelo legislador seria implantar classificação portuária do produto.

   “Estamos preocupados com o baixo preço da cebola e também com a entrada do produto de outros países que prejudicam a comercialização do produto da nossa região. Falamos com o Deputado Federal Peninha, e com o apoio dele queremos realizar em março uma audiência com o Ministro da Agricultura, para cobrar e propor algumas formas de barrar ou dificultar a entrada da cebola de outros países”, explicou

   Diogo acrescenta que a preocupação já não é apenas com a entrada da cebola da Holanda, já que são mais de 10 países que tem produzido o produto em grande escala e uma hora ou outra vão tentar trazer a produção para o Brasil. “Por isso nossa sugestão a ser apresentada pra o Ministro da Agricultura  deve ser a implantação da classificação portuária, o que dificultaria bastante a comercialização no país, dada as dificuldades com estrutura necessária para que a classificação ocorra”, explicou.

   A cebola brasileira para ser comercializada precisa seguir alguns critérios e entre eles está a classificação dos bulbos conforme normas ou regulamentos vigentes no mercado de destino. A ideia do vereador é que a mesma regra sirva para a cebola importada.

Câmara de Vereadores de Ituporanga

Assessoria de Comunicação

98803-7733